Realidade virtual: como incluir essa tendência no seu negócio?
6 de junho de 2019
How to Get Away with Murder: a melhor série de liderança
21 de junho de 2019

Como Robinson Shiba revolucionou o mercado da alimentação?

Robinson Shiba

Você sabia que o Robinson Shiba, do Shark Tank Brasil, foi quem fundou a China In Box?

E na época, por incrível que pareça, no Brasil ninguém ainda falava em comida pronta comprada em caixas, ainda mais da culinária chinesa.

Apesar da trajetória de anos de estudo sobre esse negócio e de pouco dinheiro para investir, o moço pensou em algo bastante simples: trazer uma tendência que dava muito certo nos Estados Unidos para facilitar a vida dos brasileiros.

E que bom que assim o fez e abriu portas para diversos outros mercados de comida pronta para a nossa realidade.

Quer saber mais sobre essa história de sucesso de Robinson Shiba?

Então fique por aqui e leia esse texto!

Quem é Robinson Shiba?

Robinson Shiba, bastante conhecido como um dos tubarões do programa Shark Tank Brasil, foi também o cara que teve a brilhante ideia de fundar a China In Box.

Estudante de Odontologia, nos anos 80 ele jamais tinha pensado em abrir um restaurante.

A gastronomia tão pouco era uma de suas paixões.

Mas foi quando decidiu fazer uma viagem aos Estados Unidos com os amigos para aprimorar o inglês que surgiu algo bastante inusitado.

O que aconteceu?

Ele foi assaltado e perdeu todo o dinheiro que guardava em sua doleira.

Nossa, que azar.

É aí que você se engana.

O moço obviamente passou por dificuldades financeiras, mas queria muito continuar os estudos nos Estados Unidos.

Para resolver a situação, decidiu arrumar um emprego no país para garantir uma renda fixa.

Foi trabalhar na cozinha de alguns restaurantes como lavador de pratos e depois se aventurou como entregador de pizzas e de fast food.

Que bom que ele conseguiu o que queria: permanecer nos Estados Unidos.

E isso foi bom para todos nós, sabe por quê?

Porque enquanto trabalhava nesses restaurantes, Shiba percebeu o sucesso da comida pronta com os americanos.

E na época, por mais incrível que pareça, os brasileiros nem sonhavam com essa possibilidade.

Mas era óbvio que nós também nos beneficiaríamos bastante com a ideia.

Em 1986 Shiba decidiu então estudar os modelos de fast-food que davam certo por lá e como eles poderiam ser adaptados no nosso país.

Foram seis anos de análise minuciosa até fundar a primeira unidade da China in Box por aqui, no bairro de Moema, São Paulo.

Acha que foi fácil abrir a empresa?

Nem um pouco.

Ele e o pai tiveram que vender um apartamento por um terço do preço para levantar capital.

Mas agradar os brasileiros precisaria de um algo a mais.

Além de trazer a ideia inspirada no fast-food americano, o moço realizou melhorias essenciais, como a cozinha à mostra para os clientes acompanharem o processo de preparo da comida.

Apesar disso já ser uma realidade no Brasil, no início dos anos 90 a estratégia era completamente inovadora.

De lá para cá foi só crescimento. Em 2000, por exemplo, a empresa abriu para o franchising e começou a criar muitas outras unidades.

Hoje, Robinson Shiba é o presidente do Grupo Trendfoods, que gerencia não só a China in Box como também o Gendai, e conta com 160 lojas franqueadas em 22 estados do país.

Ele é também um investidor de muito sucesso e um dos mais admirados do programa Shark Tank Brasil.

O que podemos aprender com Robinson Shiba?

Mais uma vez vamos falar do negócio disruptivo nesse texto sobre o Robinson Shiba?

Assim como a Cristiana Arcangeli, também participante do Shark Tank Brasil, e que já foi tema de um artigo aqui no blog, o empreendedor de sucesso criou algo que ninguém havia criado até então.

A única diferença dele para a Cris é que Shiba trouxe uma tendência dos Estados Unidos, o que é também algo extremamente inteligente, sabe por quê?

Por que já existe uma prova de que aquela empreitada dá realmente certo e que o público adere a ela.

É claro que é preciso ser cuidadoso na escolha de um modelo de negócio que faz sucesso em outro país porque nem sempre as culturas são parecidas.

Mas a aposta certeira foi trazer algo que melhoraria muito a vida das pessoas.

Aí é muito difícil de errar, porque isso independe de país e de cultura.

Todo mundo quer um dia a dia mais simples, não é? E foi isso que a comida pronta proporcionou!

Além de resolver um problema, Robinson ainda aplicou melhorias inteligentes, que aproximaram o público da China In Box, como a possibilidade dos clientes assistirem os preparos dos alimentos.

Ao visualizarem uma comida cheirosa, limpa e muito bem preparada, eles passaram não só a ter mais vontade de comê-la, como também criaram uma relação de confiança com a marca.

Fantástico!

Gostou desse texto sobre o persistente Robinson Shiba?

Cada vez mais nos convencemos de que os negócios disruptivos foram, são e sempre serão a bola de vez.

E você, já pensou em algo que ninguém ainda pensou?

Presleyson Lima
Presleyson Lima
Ajudo empreendedores e intraempreendedores obterem resultados em seu negócio através da segurança da informação.

1 Comentário

  1. […] empreendedor então reestruturou a escola e depois vendeu 35% dela ao Carlos Wizard (fundador da Wizard). O […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *